Quando a gente vai à feira só temos uma coisa em mente: o que iremos comprar da nossa listinha! Contudo, precisamos ter muito cuidado com a procedência e cultivo das frutas e vegetais que compramos. A dica que daremos a seguir é muito fácil e ajuda bastante para protegermos nossa saúde.

Todas as frutas e vegetais a venda tem um adesivo colado nelas. Esse adesivo é o PLU (do inglês Price Look Up) e nele podemos achar uma sequência numérica. É dela que precisaremos para identificar a procedências dos alimentos, pois ela indica o modo de cultivo.


Se essa sequência numérica tiver apenas 4 (quatro) números, como na imagem da banana acima, é porque o alimento foi cultivado de maneira tradicional, com uso de pesticidas e fertilizantes. Nesse caso, o número indica apenas o código do produto vendido (4011 - banana).


Porém se a sequência numérica tiver 5 (cinco) dígitos, precisamos ver qual o primeiro deles. No caso de ser o número 8 (oito), como na imagem da maçã acima, se trata do que chamamos de OGM (Organismos Geneticamente Modificados). Nesse caso, a maçã em questão sofreu algum tipo de alteração genética em laboratório. Os outros 4 números restantes se referem ao código da maçã (4131 - maçã).


Ainda falando de sequências númericas com 5 dígitos, se o primeiro deles for 9 (nove), como na imagem da laranja acima, isso se deve a um cultivo livre de pesticidas. Os outros 4 números restantes da laranja cultivada biologicamente se referem ao código da fruta (4285 - laranja).

Alguns produtos estão muito mais sujeitos a tratamentos químicos com uso de pesticidas, como é o caso do morango, maçã, pêssego, uva, cereja, espinafre, tomate, pimenta.

Enquanto outros dificilmente são tratados quimicamente, por exemplo o abacate, milho, abacaxi, ervilha, cebola, aspargo, manga, mamão papaia, kiwi.

Portanto, quando voltar na feira ou no mercado, fique esperto para escolher o melhor para a sua saúde!

Até a próxima!

Fonte: http://resumodasaude.com/etiquetas-nas-frutas/





É um bolo com consistência e sabor de brigadeirão. Cremoso e irresistivelmente delicioso. Não tem como alguém adivinhar que nesse bolo não há um grama de farinha de trigo ou qualquer outro tipo de farinha. A massa é basicamente da biomassa de banana verde.
Como disse em outras postagens, é uma receita que possibilita introduzir um alimento funcional na alimentação.
Enjoy!




- 2 xícaras (chá) de leite
- 1/2 xícara (chá) de óleo
- 1 1/2 xícara (chá) de cacau em pó
- 2 xícaras (chá) de açúcar mascavo ou demerara
- 3 xícaras (chá) de biomassa
- 2 ovos
- 1 colher (sopa) de canela
- 100g de coco ralado
- 1 colher (sopa) de fermento em pó

Bater todos os ingredientes, exceto o fermento, até obter uma massa homogênea. Acrescentar o fermento e misturar.
Colocar a massa em forma untada e polvilhada com cacau.
Levar ao forno médio por 1 hora.




Acho que a imagem fala por si só. Ficou bom pra caramba!
Essa é uma sobremesa feita com biomassa de banana verde. Portanto, não é só um doce, mas uma forma prazerosa de comer um alimento funcional. A quantidade de calorias é bem menor do que uma mousse tradicional. Super simples de fazer. 

Enjoy!

  • 1 xícara (chá) de biomassa de banana verde [200g]
  • 1 tablete de chocolate meio amargo ou amargo [120g]
  • 1 colher (sopa) de adoçante em pó para forno e fogão ou 1 colher (sopa) de açúcar
  • 1/4 xícara (chá) de leite de coco
  • 4 claras em neve

Coloque em uma panela a biomassa, o chocolate picado, o adoçante e o leite de coco. Misture todos os ingredientes e cozinhe em fogo baixo até derreter totalmente o chocolate. Você vai obter um creme de chocolate homogêneo. Para finalizar, incorpore as claras em neve ao creme delicadamente. Não pode bater.
Coloque em potinhos e leve à geladeira. 




Batata doce está na moda! É o tubérculo mais aclamado pelas pessoas que frequentam academias ou possuem uma rotina de exercício físico. Pensando nelas, resolvemos fazer uma receita com a batata doce e assim terem uma outra forma de comer (além da mesmice da batata cozida).

Esse prato é único e saudável, pedindo no máximo uma saladinha verde para acompanhar. 

Curtiu a receita? Curte! Compartilhe para os amigos!

Até a próxima.


INGREDIENTES

Massa (Purê):
  • 3 batatas doces médias
  • 1 colher (sopa) de margarina light
  • 1 xícara (chá) de leite semi desnatado
  • sal a gosto
Recheio:
  • 400g de carne moída
  • 1 cenoura grande cortada em cubos pequenos
  • 1 tomate picado
  • 1 colher (sopa) de azeite de oliva
  • 1 cebola média picada em cubos pequenos ou ralada
  • 4 dentes de alho amassados
  • queijo mussarela ralado a gosto
  • cheiro verde a gosto (opcional)
  • louro, alecrim, tomilho, sal a gosto



MODO DE PREPARO

Massa (Purê):

  1. Lave as batatas, corte as pontas. Coloque em panela de pressão com água e sal. Cozinhe por 10 minutos após dar pressão. Descasque as batatas ainda quentes e amasse-as.
  2. Adicione o leite, a margarina, o sal e misture bem, formando um purê bem macio.
  3. Reservar.

Recheio:
  1. Em uma panela, adicione o azeite, a cebola e o alho.
  2. Deixe refogar até a cebola ficar transparente, (não deixe a cebola dourar, senão fica seca como palha).
  3. Acrescente a carne moída e refogue muito bem, até ficar fritinha.
  4. Adicione o alecrim, o tomilho, a cenoura, o tomate e refogue até o tomate derreter.
  5. Acerte o ponto do sal.
  6. Desligue o fogo e acrescente o cheiro verde (opcional).
Montagem:
  1. Unte uma assadeira pequena e coloque metade do purê, forrando todo o fundo.
  2. Acrescente o recheio e cubra com o restante do purê.
  3. Cubra com queijo mussarela ralado.
  4. Leve ao forno alto, preaquecido, até dourar. 


Muitos podem achar que o glúten é um carboidrato por ser encontrado em pães, massas, bolos, bolachas... Mas estão enganados!


O termo glúten se refere a um conjunto de proteínas (as prolaminas), substâncias encontradas no trigo, no centeio, na cevada e seus derivados - mais precisamente no endosperma, a reserva nutritiva do embrião da planta.


Resultado de imagem para gluten gliadina

A ingestão do glúten faz mal apenas para quem tem intolerância, alergia ou algum tipo de sensibilidade a esse componente alimentar. 

No caso da intolerância ao glúten,  as pessoas não conseguem digerir bem essa proteína, e por isso quando comem alimentos com glúten ficam com sintomas como dor de estômago, diarreia, tontura, alterações de humor, enxaqueca crônica, coceira na pele, gases, dor e inchaço abdominal.

No caso da alergia ao glúten, o organismo dessas pessoas "enxerga" o glúten como um corpo estranho. Então, é desencadeada uma reação imediata mediada pelo sistema de defesa do organismo, ou seja, são liberadas substâncias para combater esse invasor (por exemplo, anticorpos). Os sintomas são vermelhidões na pele, gases, dores de estômago, diarreia, vômitos e até impossibilidade de respirar (edema de glote).

No entanto, atualmente o glúten tem sido associado com ganho de peso. Será que isso é verdade? 
A retirada do glúten, em dietas para emagrecimento, está muito comum, porque associam essa proteína ao ganho de peso. É importante lembrar que o glúten acaba estando presente na composição de alimentos calóricos e não saudáveis. Mas não é ele que faz o valor calórico aumentar ou o produto não ser saudável.
O GLÚTEN NÃO ENGORDA! Os alimentos com glúten que engordam são, principalmente, aqueles que também têm alto teor de gordura e sal como ingredientes, por exemplo bolos e biscoitos. Mas, alimentos como pão ou torradas, apesar de terem glúten, só engordam se forem consumidos em grandes quantidades.
A melhoria da qualidade da alimentação é através do equilíbrio.




Resultado de imagem para TPM


A Síndrome da Tensão Pré Menstrual (TPM) NÃO É bobeira de mulher ou drama feminino. As mulheres não ficam irritadas à toa, voluntariamente enlouquecidas por doces e depressivas por prazer. 

É cientificamente comprovado que a TPM é um dos distúrbios mais comuns a atingir as mulheres (em torno de 75% delas). Seu período inicia em média entre 10 a 14 dias antes da menstruação e melhora com o princípio do fluxo.

TPM caracteriza-se pela presença de alterações psicológicas, físicas e comportamentais,  incluindo mudanças de humor, depressão, tristeza, tensão, irritabilidade, ansiedade, nervosismo, agressividade, facilidade para chorar, dores generalizadas (cabeça, costas, abdome), fadiga, aumento ou redução do apetite, compulsão por doces ou salgados e insônia.

Para algumas mulheres, esses sintomas podem se tornar desconfortáveis a ponto de afetar o dia a dia, ou seja, o relacionamento familiar, profissional, escolar e social. Contudo, apenas 5% dessas mulheres necessitam de um tratamento com medicamentos para amenizar os sintomas da TPM

Portanto, simples mudanças na rotina alimentar podem ajudar bastante! 


1. Inclua na sua dieta alimentos fonte de:
  • Vitamina B6 (Piridoxina): Germe de trigo, levedura, peixes (como o atum e salmão), carne de porco, frango, vísceras (fígado), cereais integrais, ovos, batata, banana, aveia, pistache, sementes de girassol, semente de gergelim, lentilha, soja, amendoim e nozes. Esse nutriente participa da produção de serotonina e, em consequência, auxilia na melhora do humor (ameniza quadro de irritabilidade e depressão).
  • Cálcio e Vitamina D: Leite e derivados (queijos e iogurte), sardinha, soja, tofu e vegetais verdes escuros (couve, brócolis e espinafre). Esse mineral ajuda a aliviar cólicas e outros sintomas da TPM (oscilações de humor, tensão, ansiedade, compulsão alimentar, dor e retenção hídrica). 
  • Triptofano: Castanha-do-pará, nozes, abacaxi, abacate, banana, batata, beterraba, ervilhas. Esse aminoácido é um precursor da serotonina (que encontra-se com níveis baixos em quadros de TPM), assim auxiliando na manutenção dos níveis ideais desse neurotransmissor e, desta forma, evitando distúrbios do humor e emocionais.
  • Magnésio: Carne vermelha, frutos do mar, vegetais verdes, laticínios em geral, sementes de abóbora, amêndoa, tofu, feijão, figo, aveia, beterraba, alcachofra, quiabo, abacate, banana, soja, arroz integral e tomate. Esse mineral auxilia na necessidade incontrolável de comer chocolate e no alívio de dores de cabeça.
  • Ômega 3: Frutas oleaginosas (nozes, castanha de caju, castanha-do-pará), peixes de água fria (salmão, sardinha, arenque e truta), sementes de chia, sementes de linhaça e, óleos de peixe, linhaça e canola. Esse ácido graxo ajuda a regularizar o desequilíbrio hormonal e é um importante antioxidante.
  • Fibras: Cereais, pães e arroz integral, aveia e tubérculos, como beterraba, cenoura, nabo, batata, inhame e mandioca. O alto teor de fibras destes alimentos vai evitar a prisão de ventre e os desconfortos gastrointestinais que se acentuam com a TPM. Além disso dão saciedade, contribuindo, então no controle da compulsão alimentar.

2. Evite:
  • Café e derivados
  • Consumo de embutidos e defumados (salames, presuntos e salsichas)
  • Sal e Doces em excesso
  • Bebidas alcoólicas
  • Alimentos com alto teor de gordura saturada
  • Molhos condimentados (catchup, molho inglês, shoyu, entre outros)
Esses alimentos podem contribuir para o aparecimento de distensão abdominal, náuseas, inchaços, dores nas mamas e cabeça, alterações de humor e outras queixas na TPM. O consumo de álcool, por exemplo, pode causar desidratação e alterações na glicose sanguínea, favorecendo em quadros de dor de cabeça.


3. Consumir alimentos diuréticos: Melancia, aspargos, salsa, agrião, morango, chá da casca do abacaxi. Esses alimentos ajudam na diminuição da retenção de líquidos.


Fonte:

Barbosa, Sabrina Reis, Rafaela Liberali, and Vanessa Fernandes Coutinho. "Relação dos aspectos nutricionais na tensão pré-menstrual (TPM): Revisão sistemática." RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento 4.19 (2012).

Nutrição da mulher uma abordagem nutricional da saúde à doença. Simone Morelo Dal Bosco, organizadora. -- São Paulo: Edithora Metha, 2010.

Ares franceses pairaram pela minha cozinha hoje. Senti-me tomada pelo espírito de Julia Child e recrutei meu sous chef namorado para participar dessa imersão na gastronomia francesa. O cardápio escolhido foi o famoso Boeuf Bourguignon e Noisettes de Batata.

Dizem que mulheres sábias usam pérolas e creio que começarei a acreditar. Julia Child disse que Boeuf Bourguignon era o mais delicioso prato de carne bovina existente. Após o primeiro pedaço de carne embebido em molho ser saboreado por mim, fui invadida pela certeza de que esse É O PRATO COM CARNE MAIS GOSTOSO que já provei. Super recompensador quando todos de casa, sem eu nem perguntar falavam repetidamente que estava muito muito bom. 

O acompanhamento escolhido foram as simpáticas noisettes de batatas. A diferença para a receita tradicional é que optei em "fritá-las" na Air Fryer ao invés de diretamente na gordura. Ficaram macias por dentro, crocante por fora, sabor suave e impactante. Passá-las no molho do boeuf bourguignon é tão perfeito quanto passar um pedaço de pão num fundo de prato de sopa. 

Au revoir... 




Receita Boeuf Bourguignon

Ingredientes:

1kg de acém cortado em cubos grandes
1 cebola cortada em cubos
1 cenoura cortada em cubos
1 xícara (chá) de vinho tinto
1 litro de caldo de carne -(2 cubos de caldo de carne dissolvidos em água quente)
150g de cogumelos Paris frescos cortados em 4 partes
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 dentes de alho picados
1 colher (sopa) de extrato de tomate
Alecrim, louro e tomilho a gosto
20 cebolas pérola
1 colher (sopa) de açúcar
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Em uma panela grande, aqueça um pouco de azeite e em temperatura média-alta doure a carne aos poucos, virando quando necessário até que esteja bem corada. 
Adicione a cebola e cenoura. Refogue até que a cebola fique macia. Junte o alho, a farinha e misture. Acrescente o vinho e deixe ferver. Assim que levantar fervura coloque o caldo de carne (reservar 1/2 xícara de chá) e tempere com  pimenta do reino. Deixe cozinhar em fogo baixo. Só tome cuidado ao colocar o sal, porque o líquido vai evaporar e o molho ficará encorpado. Deixe para ajustar o sal no final da receita.
Enquanto isso, em uma panela aqueça um fio de azeite e refogue as cebolas pérola e os cogumelos até que comecem a ficar dourados. Junte o açúcar e deixe caramelizar. Acrescente o caldo de carne reservado. Deixe ferver até que o caldo evapore quase completamente.  Coloque essa mistura na panela onde está a carne. Misture bem, ajuste o sal. Sirva.


Receita Noisettes de Batatas


1kg de batata
2 ovos
Alho e cebola desidratadas a gosto
sal a gosto 
pimenta do reino a gosto
Noz - moscada a gosto
orégano ( opcional )
Farinha de rosca para empanar

Modo de Preparo:

Cozinhe as batatas em água e esprema-as ainda quentes. Faça um purê com essas batatas cozidas.

Acrescente o ovo, a cebola, o alho, o sal, a pimenta, a noz – moscada, o orégano e misture muito bem
Faça pequenas bolinhas de aproximadamente 3 cm de diâmetro e empane-as na farinha de rosca.
Frite na Air Fryer por 20 minutos, potência máxima.
Servir.